Pecuária

Como evitar a diarreia neonatal em bezerros

11 novembro 2021

Para evitar a diarreia neonatal em bezerros é preciso garantir conforto e higiene das instalações do bezerreiro

Você sabia que a diarreia neonatal em bezerros é uma das principais causas de mortalidade desses animais? Causada por agentes virais, parasitários ou bacterianos, ela é uma manifestação decorrente da inflamação da mucosa intestinal, que pode levar o animal à morte. No entanto, é possível prevenir o surgimento da doença, impedindo, assim, grandes impactos na produção. Saiba como evitar a diarreia neonatal em bezerros e entenda por que é essencial que esses animais sejam devidamente prevenidos da doença!

O que causa a diarreia neonatal em bezerros?

A soma de diversos fatores internos e externos podem causar a diarreia neonatal em bezerros. Assim como os agentes etiológicos são os principais contribuidores para a diarreia neonatal, o atual estado do hospedeiro (no caso, um bezerro recém-nascido) e o ambiente também são fatores importantes para o desenvolvimento da doença.

Dos diversos agentes causadores de diarreia neonatal em bezerros, os principais são Cryptosporidium parvum (parasita), Escherichia coli (bactéria), rotavírus e coronavírus (vírus). Para desenvolver a doença, o estado nutricional e as condições imunológicas também são variáveis importantes. Por último, a falta de higiene no bezerreiro também influencia no surgimento da diarreia neonatal. Quando esses três fatores colidem, são elevadas as chances de bezerros recém-nascidos desenvolverem a doença.

Como a diarreia neonatal em bezerros pode afetar o desenvolvimento desses animais?

Júlia Martins, que é  professora do curso de Medicina Veterinária da Universidade Anhanguera Niterói, conta que uma das consequências da diarreia neonatal é o atraso reprodutivo das bezerras. “As lesões causadas pela agressão ao epitélio intestinal causam reflexos negativos para a vida dessas bezerras, uma vez que reduzem de forma significativa a capacidade de absorção dos nutrientes e água”, explica Júlia. A veterinária acrescenta que os impactos negativos no desenvolvimento dependem da genética e da condição nutricional, mas envolvem baixo ganho de peso, redução da eficiência alimentar e da produção de leite.

Por serem recém-nascidos, a diarreia neonatal em bezerros provoca danos graves aos animais. “Independente do agente etiológico envolvido, a diarreia neonatal gera danos severos ao recém-nascido, pois geralmente está associada à perda de água e eletrólitos nesses animais, o que resulta em desidratação, desequilíbrios eletrolíticos e, em casos mais severos, acidose metabólica e morte”, conta a especialista.

Como prevenir a diarreia neonatal em bezerros

A forma mais eficaz de evitar a diarreia neonatal em bezerros é pela ingestão de colostro nas primeiras horas de vida. Recomenda-se que o bezerro ingira um volume que corresponda a pelo menos 10% do seu peso nas primeiras duas horas de vida e 5% na segunda alimentação, com seis horas de vida. Por exemplo: se um bezerro nasce com 40 quilos, ele deve consumir quatro litros de colostro nas duas primeiras horas após o parto e mais dois litros ao completar seis horas de vida.

A colostragem é importante para que o bezerro neonatal adquira anticorpos circulantes, fazendo com que a proteção imunológica seja desenvolvida pela ingestão de imunoglobulinas. A especialista destaca que a ingestão do colostro deve ser feita dentro das primeiras 6 horas de vida do bezerro, um momento ainda mais favorável do intestino para a ingestão. Além disso, a especialista acrescenta que o bezerreiro deve estar em condições positivas para o animal.

“O conforto e a higiene das instalações do bezerreiro também são medidas necessárias, pois tudo que desencadeia estresse compromete o sistema imunológico e as defesas naturais, deixando o organismo mais suscetível a infecções e doenças”, explica Júlia.

Vacinar vacas gestantes é o suficiente para prevenir a diarreia neonatal em bezerros?

De acordo com a especialista, vacinar as vacas que estão no fim da gestação é uma excelente medida para que o bezerro neonato receba as primeiras proteções, tendo em vista que as células de defesa da vaca passam para o animal por meio do colostro. Júlia comenta os benefícios da vacinação contra diarreia neonatal em vacas prenhas: “O bezerro também garante essa imunização quando ele nasce, a partir da ingestão do colostro, que é a primeira secreção láctea da fêmea bovina, rica em nutrientes, como a imunoglobulina IGF-I, que aumenta a taxa de renovação das células intestinais e contribui para um intestino mais funcional”.

No entanto, vacinar apenas as vacas gestantes não é o ideal para evitar a doença em bezerros neonatais. Há diversos fatores que influenciam na eficácia da imunização, como a criação de anticorpos das vacas, a capacidade do sistema imunológico do bezerro para desenvolver esses anticorpos e, também, o estresse pelo manejo agressivo no momento do parto. Além disso, a higiene precária durante e após o parto também são fatores que influenciam no processo. Por isso, vacinar as vacas gestantes não é garantia de que os bezerros neonatos estão devidamente imunizados.

Vale destacar que, quando a doença é causada pelo parasita Cryptosporidium parvum, existe medicação para prevenir e controlar a doença. A halofuginona é um agente antiprotozoário que atua principalmente nos estágios de vida livre do parasita (esporozoito, merozoito), a etapa em que ele se torna mais infeccioso e é excretado pelas fezes. Desse modo, a halofuginona contém o crescimento e limita a propagação do parasita, sendo uma boa opção para prevenir a diarreia neonatal em bezerros. 

* Júlia Martins (CRMV 13415) é mestre em Clínica e Reprodução Animal pela UFF (Universidade Federal Fluminense)

Newsletter Universo da Saúde Animal

Sua fonte especializada de informações relevantes sobre Saúde Animal. Inscreva-se
gratuitamente e tenha acesso a atualizações veterinárias no Brasil e no mundo.