Pets

Como dar banho em gato e de quanto em quanto tempo ele é necessário

29 Junho 2021

Na hora de dar banho em gato é importante não jogar água no rosto do animal

Dar banho em gato é algo que gera muitos questionamentos, pois além de a experiência causar estresse aos animais, os felinos são capazes de fazer a auto-higienização diária com a língua. Outro ponto de atenção é que o contato excessivo com a água tende a tirar a proteção natural da pelagem dos pets, o que pode desencadear uma série de problemas dermatológicos e retirar feromônios importantes para a rotina do animal.

Apesar disso, em alguns casos o banho em gato é necessário, e por isso deve ser realizado com alguns cuidados e na periodicidade correta. Para entender como especialistas podem orientar os tutores sobre o assunto, conversamos com a veterinária Carolina Mouco Mouretti, que explicou como dar banho em gato (filhote ou adulto) da forma correta e de quanto em quanto tempo realizar o procedimento.

Afinal, em que situações pode dar banho em gato?

Embora o banho em gato não seja essencial, em algumas situações de sujeira mais pesada é necessário garantir a limpeza do pet. O ato também pode ser indicado para o tratamento e controle de problemas de saúde, como as dermatites. Nesse caso, os profissionais devem orientar a maneira correta de dar o banho, assim como os produtos específicos para o tratamento.

Se o banho for necessário por conta de uma sujeira pesada, o veterinário deve ensinar aos tutores estratégias que ajudem a tornar a experiência menos estressante para o felino. Conforme foi observado em uma pesquisa do Journal of Veterinary Internal Medicine, a lavagem é tão estressante para os gatos que as concentrações sanguíneas de cortisol quintuplicam após o banho.

Além do estresse, o banho em gato também pode trazer malefícios por conta de algumas características do animal, como explica Carolina Mouco Mouretti: “Os felinos produzem óleos naturais e essenciais para seu pelo, que com o banho frequente pode prejudicar e desproteger a pele do animal”.

Por isso, é importante ressaltar que o procedimento só será necessário caso o gato tenha se sujado drasticamente. “Depende muito do estilo de vida do gato. Embora não recomendado, existem muitos gatos que passeiam livremente pela vizinhança. Nestes casos, o banho deve ser mais frequente, já que não é possível saber com o que ele manteve contato. Já os gatos que não saem, ficam apenas em casa, esses podem tomar com menor frequência. Porém, todos os casos devem ser avaliados individualmente”, diz a especialista.

Como dar banho em gato filhote ou adulto

Acredita-se que se o animal for acostumado desde cedo a tomar banho, ele pode lidar melhor com a água. É possível dar banho em gato filhote com mais de 6 meses de vida e que já tenha tomado todas as vacinas. Esse cuidado é essencial para evitar que o felino sofra algum problema de saúde em decorrência do banho.

O banho em gato filhote ou adulto deve ser feito de maneira cuidadosa, principalmente caso seja a primeira experiência do animal com o procedimento. Os cuidados devem começar alguns dias antes do dia da limpeza. O ideal é que suas unhas sejam aparadas para diminuir as chances de arranhões na hora da higienização. Os pelos também devem ser escovados para que o excesso seja retirado, principalmente caso os do felino sejam longos. Há ainda outras orientações que devem ser passadas para os tutores, que incluem:

– Preparar o ambiente e fechar as portas para evitar que o gato fuja;
– Brincar com o animal um pouco antes para que ele fique mais amigável, incluindo colocar brinquedos dentro da banheira vazia para que ele associe o momento a um momento divertido;
– Colocar tampões de algodão nos ouvidos do pet para evitar que água caia em seus ouvidos;
– Começar o banho a partir do pescoço e seguir a direção dos pelos.

Além disso, o rosto do animal pode ser limpo com um pano úmido e é recomendado que a limpeza seja feita por duas pessoas, uma para controlar e segurar o gato e outra para fazer a higiene. “Seque ele com toalha e procure fazer o procedimento em dias quentes, para que ele termine de secar no sol. Nem todos os secadores são recomendados, inclusive pela temperatura e barulho”, indica Carolina.

Banho a seco: gato pode se adaptar melhor com a técnica

Como os felinos não costumam se dar bem com a água, o banho a seco é uma ótima opção para o momento da higienização. Entretanto, é importante destacar que o uso da técnica não altera a frequência natural dos banhos, que é feita pelo próprio gato. Caso o felino necessite uma limpeza mais complexa, é possível encontrar produtos de banho a seco em uma textura espumosa ou em spray. Eles devem ser aplicados com massagens circulares e o excesso deve ser removido da pelagem com o auxílio de uma toalha.

“Os gatos podem tomar banho, porém, não com a frequência que damos em cachorros. Por isso, o mais recomendável é fazer a escovação e dar banho a seco para manter os pelos limpos e higienizados”, afirma a especialista. No final, o animal estará extremamente limpo e cheiroso sem que isso gere muito estresse.

Os produtos a serem usados para o banho a seco devem ser indicados por especialistas em saúde felina, já que, assim como os humanos, os gatos também podem sofrer com alergias. O ideal é que sejam específicos para esses animais e não tenham aromas fortes para não incomodar o olfato felino.